29 de nov de 2007

Eu tive um sonho...

...muito estranho esta noite.

Estava eu subindo em um trepa-trepa todo colorido (trepa-trepa, não era gaiola, porque não tinha o formato da gaiola), quando avistei duas pessoas um pouco mais acima. Sim, era um trepa-trepa gigante.

Eu mal conseguia enxergar, porque estávamos em uma espécie de campo e os holofotes me segavam. Era noite e não havia platéia, pelo menos não que eu pudesse ver (devia ser culpa dos holofotes).

Quando eu alcancei os dois homens, eles eram jogadores de baseball. Estavam de uniforme e um deles tinha uma história muito triste. Ele não me contou, mas sabe como é, em sonho a gente sabe.

"Em um passado não muito distante, o homen negro de bigodinho havia perdido o filho. Ele também era jogador de baseball e suas últimas palavras para o filho foram que eles se encontrariam novamente em qualquer hora, qualquer lugar, de alguma maneira."

Eu então, enquanto observava os homens moribundos, resolvi que podia ganhar a corrida no trepa-trepa e acelerei. Fui pra frente trepada na ferragem colorida quando fiquei com um dos ferros presos na parte interna dos joelhos e comecei a rodar. Vi então que minha cabeça bateria no ferro de baixo e isso não seria legal.

Nesse momento, então eu estava com joelhos presos e o corpo caindo, a alma do filho morto do jogador de baseball começou a cair na minha direção. Uma voz do além (acho que era deus, ou o lombardi) disse: "Anywhere, anytime, somehow". Acho que a alma do menino tá em mim. E eu acho que eu morri com a cabeçada no trepa-trepa.

28 de nov de 2007

Vale por um bifinho

De criança aqui em casa, só tem a minha avó, mas tenho que confessar que eu sou a dona de todas as guloseimas dentro dos armários e geladeira. Já sou bem grandinha, acho que o T-nutri não vai mais influenciar no meu crescimento. Todas aquelas vitaminas escritas em colorido pra amenizar as coisas ruins dentro dos potinhos também não fazem muita diferença. A informação da ausência de gordura trans (ninguém sabe o que é, mas está na moda), é até que um pouco confortante.

Toddynho é uma das maravilhas do mundo, não imagino minha vida sem. Mata minha fome no meio da madrugada e engana minha mãe quando está perto da hora do almoço (Mas mãe, é só um Toddynho...). Eu tomo tanto Toddynho que cheguei até a tomar aqueles com T-nutri barato que deixava a deliciosidade com gosto de azedo. Meu pai vai até no mercado no meio do mês pra comprar especial mente Toddynho e Yakult.

Yakult. Esse chega a ser um problema aqui em casa. A Taís acha que pode tomar 2 em quinze minutos só porque sempre tem. Eu gosto muito, mas também tomo porque os lactobacilos vivos regulam muito bem meu instestino preguiçoso.

O Danoninho ficou mesmo só pro título do post, porque eu nunca fui muuuito chegada e quando meus pais compravam, sempre vencia na geladeira. Até que eu descobri aquele danone (do gênio) que você vira bolinhas coloridas no danone. E fica tããão gostoso! Agora esse também não falta mais na geladeira.

Salgadinho Elma Chips! Hmmm... bommm. Eu gosto mesmo daqueles sortidos, que vem cinco salgadinhos pequenos dentro de um pacotão. Ultimamente não, mas lembro que quando eu era pequena sempre vinha uns brindes também. Meus preferidos são fandangos, doritos, cebola, cheetos, hehehe, acho que todos!

Pra bolacha eu sou muito chata! Minhas preferidas são Passatempo sem recheio e Trakinas ++ de chocolate. Não pode faltar.

Às vezes, meu pai ainda chega com uma surpresa, um Kinder Ovo! Hmmmm.....

27 de nov de 2007

Putaquelpariu, e agora?

Eu jurei pra mim mesma que não faria drama quando acabasse finalmente a faculdade. Estava firme na decisão, afinal, já tenho planos pro ano que vem e minha vida além emprego vai muito bem, obrigada. Me falaram que quando a gente termina a faculdade, bate um desespero pois parece que nesses quatro anos, nada entrou efetivamente na cabeça.

Hoje fiz minha última prova. Já saíram minhas notas e eu já passei de ano. Estou desesperada. O governos deveria nos dar empregos por bom comportamento, sabe? Tipo, parabéns, mocinha, você não ficou de sub, não pegou DP, não faltou muito, tirou boas notas, toma aqui um emprego, pega, é só puxar o laço vermelho.

Pra ajudar, além da falta de emprego, eu não sei nada. Tenho uns flashs de umas aulas de micro e da Maria da Graça, acho que o assunto era Cladística, mas efetivamente, não sei nada. Não me vem nada de especial na cabeça que seja merecedor do título de bacharel em Biologia.

Calma, Cindy, calma. E pessoas, eu não estou reclamando, sabe?! Eu tenho plena consciência que reclamação afasta pessoas. Acho que todos passam por isso. Ao mesmo tempo que a gente sente um alívio por ter terminado, sente um fundinho de desespero pra não perder o charme.

Tudo valeu. E agora que acabou, acho que vou sentir saudades.

23 de nov de 2007

Astros nem um pouco lógicos

Áries

Detesto arianos. No geral, claro. Tem a Amanda e a Tia Cilene que são exceções do lado ruim ariano. O resto, jogo na fogueira! Arianos são traiçoeiros, passam por cima de tudo e de todos pra alcançar seus objetivos. São determinados ao extremo e não aceitam ficar por baixo. São karmas e podem ser encontrados em qualquer ex-namorada barata.

Touro

Se todo taurino é teimoso, eu não sei. Pra mim taurinos são pessoas fiéis, divertidas, leais e acima de tudo brincalhonas. Não é à toa que nesse signo está minha melhor amiga e meu padrinho. Deve ter uma pá de filhos-da-mãe, mas eu aprecio os taurinos que me rodeiam. Mesmo com toda essa teimosia.

Gêmeos

Os geminiosos, oops, geminianos são as criaturas mais geniosas que eu conheço. É do jeito deles, na hora que eles querem, e se não fizerem, eles vão abrir a boca e chorar tão alto que o pedido será realizado num passe de mágica. Geminianos além de geminiosos são gemimimados.

Câncer

Quando penso nesse signo me vem na cabeça pessoas calmas. E com sono. Acho que sei o que dizer sobre esse signo, não conheço muitos cancerianos e os que conheço são gente boa. Tipo, normal.

Leão

Leoninos são estrelas natas. Alguns são aparecidos demais, outros não precisam fazer nada para chamar atenção. Muitos acham leoninos arrogantes, mas eu discordo em partes. Já conheci leoninos que imitam as cambalhotas da Daiane dos Santos e outros que não respiram pra não serem percebidos. Também não vou ficar aqui metendo o pau no meu signo ascendente, né? Hehehe

Virgem

Me dou bem com virginianos. Acho que são pessoas que cumprem a proposta e para isso se utilizam de todo seu perfeccionismo. São pessoas conquistadoras, seja pela timidez ou pela simpatia. Minhas primas Bruna e Isabelle são bons exemplos disso.

Libra

Show-de-bola! Libriano topa tudo, pra eles tudo está sempre bom. E se não estiver? Vai ficar! Otimismo corre na veia de um libriano. Não pense que eles não têm opinião não, é que é melhor ficar em cima do muro pra não semear a discórdia. Tenho amigos, pai e mãe, primos librianos, rodeada de librianos e é muito bom! Libra faz bem!

Escorpião

Conheço poucos escorpinianos. Parte é idiota, a outra parte é sonhadora. Os homens de escorpião se acham mais que o pior leonino e as mulheres são mais sonhadoras que qualquer pisciano.

Sagitário

São librianos em aperfeiçoamento. Também otimistas, topam tudo. Extremamente brincalhões. Ainda bem que tenho um namorado sagitariano =). Sagitarianos também são desligados (até demais) e dificilmente esquentam a cabeça. Dedicação nota dez.

Capricórnio

Capricornianos não são muito presentes na minha vida. Tinha o meu avô, a Ana Carol e o Sêo Ari, mas eu não consigo fazer uma ligação única entre eles. São que nem cancerianos, normais. Eu diria dedicados.

Aquário

Pusta signo chato! E digo isso porque é o meu! Aquarianos são extremamente ansiosos e por isso são chatos. Pegam no pé, ficam preocupados com o que vai acontecer. Não conheço muitos aquarianos que vivem um dia de cada vez. Eu e minha tia Nena somos prova viva de que aquariano vive no futuro. Ainda sim, somos extremamente companheiros, temos boa memória e não desligamos nunca.

Peixes

Ai como é difícil ser yo! Piscianos que eu conheço são carentes, tranqüilos por fora e geralmente fazem terapia. Pessoas de gênio. Eu gosto de piscianos. Eles sabem se fazer muito importantes, é só dar o espaço.

22 de nov de 2007

Projetos e futilidades

- Quero uma massa de modelar, pra eu lembrar o cheiro da sala do pré de vez em quando;

- Um guarda-chuva desses transparentes, pra eu olhar a chuva de baixo sem me molhar;

- Dar um abraço na Angélica, contar a história de quando eu ganhei o vinil na minha formatura do pré e perguntar de quem ela herdou esse gosto horrível pra nomes;

- Olhar pra cara do meu caro professor e falar "se f*deee, fidaputa";

- Pintar um desenho bem bonito usando só as canetinhas (nunca fui boa nisso);

- Ganhar na mega-sena acumulada e sozinha;

- Ser uma pessoa mais divertida e social e menos encanada e de cara-feia (é pedido ou é milagre?);

- Montar uma locadora, assim o Du pode ter todos os filmes e todas as temporadas do mundo;

- Abrir um Buffet infantil. Poucas coisas são melhores que crianças e festas;

- Uma rasteirinha mais confortável. Essa deixa meu calcanhar dolorido;

- Uma casinha de cachorro, a ração, alguns brinquedinhos. Ah, o cachorro também;

- Que o Papai Noel me dê um prosente bem legal esse ano, porque eu fui uma boa menina;

- Comer, comer, comer e não engordar, engordar, engordar;

- Completar um "Exclusivo Super Sudoku" de uma vez só. Cansei de fazer um pouco por dia;

- Arrumar o melhor emprego, do jeito que eu quero. Ahhh qualquer emprego, vai;

- Que Desejo Proibido não acabe nunca mais!

Por favor, Papai-do-céu!

15 de nov de 2007

De cor!

Definitivamente, sou de cor. Dessas que ficam roxas de frio, rosa de vergonha, branca de medo e verde de dor. Não ligo pras minhas cores, mas o que mais me incomoda é que basta olhar pra cara do sol e eu fico VERMELHA.

Tive lá minhas fases, sabe? Mesmo sendo transparente, com uns 15/16 anos, me juntava com a Taís e tomávamos banho de "AnaSol", um bronzeador infalível que mantinha a cor por o quê? Uns dois dias... Usávamos também Sundown com óleo de urucum (é isso??) fator 2! Sim, com essa cor do pecado, queríamos morrer de câncer de pele. Quase sentia os raios ultravioletas adentrando minha humilde pele.

Quando era pequenininha não dependia muito de mim. Depois de vários olés, minha mãe finalmente conseguia passar o protetor solar, mas sempre ficava um lugar sem e incontáveis vezes, eu fiquei com inúmeras bolhas. Nojenta do jeito que eu sou, é só ficar vermelhinho que eu não consigo olhar pro local, imagina com bolhas. E a insolação? Muitas vezes fui parar no hospital, colocando a janta pra fora.

Nesse último final de semana fui pra praia com meus pais. Não havia sol, não havia mormaço, só muito vento. O vento era tanto, que um tempo fiquei até coberta com a camisa do meu pai. Estava com frio o tempo todo. E só escrevi esse post hoje, sexta-feira, porque o trauma está passando.

Ohhh, god knows como eu sou cuidadosa quando vou pra praia! Passo protetor 30 o tempo todo! Mas é que não tinha sol, né. De repente, depois do banho foi surgindo um vermelhinho. Depois de meia hora, eu já era um grande pimentão ambulante. Ardida, assada e inchada. Meu rosto ficou redondo, minhas pernas estavam intocáveis e logo abaixo do pescoço, sabe, na região do esterno? Eu também não sei, não conseguia olhar.

O mais interessante dessa minha aventura com o sol foi que tive uma reação alérgica com o hidratante. Tive uma coceira fora do normal que só passava com meia hora em baixo da água. Agora já passou, estou trocando de pele e estou horrível! Mas pelo menos não arde e nem coça. Ai, ai...



Essa foi a foto mais "queimada" que encontrei. Tinha uns nove anos. Reparem nos meus cabelos escuros e pelos ombros.
E ninguém pode negar! Desde aquela época, eu gostava de sol, Melissa e McDonald´s.

Aversões

Não sei o porquê de esses brasileiros ficarem copiando programa gringo. Acho que o pessoal daqui deveria focar no que sabe fazer bem: novela. Se quer fazer um seriado, até que tudo bem, mas ficar fazendo essas versões não dá certo.

A Globo até que faz umas boas versões como BBB e No Limite (eu acho =P). Nas nada se compara a uma aconchegante e deliciosa novelinha das seis. Você realmente se transporta para a década da novela e chora, dá risada, aprende um pouquinho. Já mistérios emocionantes ficam com a novela das oito e eu, particularmente, passo.

Adoro Desperate Housewives, mas fiquei um tanto desesperada quando assisti na RedeTV. Intragável. Lucélia Santos definitivamente não é a Lois Lane, digo, Susan Mayers! A tal da dublagem é horrível e eles colocaram vários atores argentinos pra tapar os buracos. Outra, essas donas-de-casa do subúrbio não colam aqui no BraZil.

Quem pensa que Fernanda Motta chega aos pés de Tyra Banks está muito enganado. E quem assiste ao America's Next Top Model se decepciona com o Brazil´s Next Top Model. As meninas até que são bonitas, mas Fernanda Motta chega a ser apática, sem expressão. Eles chegam até a copiar as falas da Tyra que novamente não funcionam no Brasil. Mas eu assisto né... (E torço pra Mariana Velho!)Mesmo achando que poderia ser melhor.

Se é pra fazer versões, que seja muito bem feito, não é mesmo? Por exemplo, Ugly Betty. É muuuito legal! Eu não assisti Betty A Feia inteirinho, mas o upgrade que deram no Ugly Betty ficou muito bom. America Ferrera mereceu o Emmy!

A Record encontrou uma boa saída comprando Heroes. Peninha que resolvel comprar a idéia também e colocaram vários super heróis na sua novela "Caminhos do Coração". Podiam ter feito a novela sobre a mocinha, que gosta do mocinho, que não pode ficar com a mocinha por causa da mázinha, mas resolveram melar tudo. Já passa Heroes, poxa, tá bom, né?

Tô vendo já o dia que o SBT vai querer fazer a versão merrricana de Lost. Meda...

12 de nov de 2007

Eu uso óculos!

Há uns quinze anos atrás, eu precisei ir ao oculista. Ele disse que eu precisava usar óculos de descanso e eu fiquei super feliz. Acho que não passava de meio grau de miopia. Escolhi uma armação rosa, da Turma da Mônica, e me sentia a Valéria do Carrossel. Cheguei na escola de óculos e contei uma baita mentira pras crianças (disse que era tão grave o meu problema, que eu precisava usar óculos até dormindo. O oculista tinha até passado pra mim um capacete especial... hahahahaha... Preciso fazer um post sobre as minhas mentiras de criança!). A paixão pelos óculos não durou mais que uma semana, só usava quando brincava de escolinha, ou quando brincávamos de Carrossel.

Dez anos mais tarde, comecei a ter umas dificuldades para enxergar o número do ônibus, às vezes embassava, às vezes não. Fui a um oculista e novamente, quatro olhos. Já estava com um grau de miopia e na verdade, achava um saco usar aqueles óculos. Cada ano que fazia a visita ao oculista, somava 0,25. Em uma dessas visitas, escolhi novamente a armação cor-de-rosa (que horror!) e até perdi o óculos de tão feio que ficava em mim. Achei esses dias atrás e dei pra Taís, coitada, ela vive indo ao oculista, mas ele se recusa a dar qualquer 0,25 de descanso.

Já estou com 1,75 e agora gosto muito de usar óculos. Mesmo com as lentes mais dedadas do mundo, e o modelo mais simples e o menor, gosto muito deles e não trocaria por nenhuma lente de contato metida a besta. Espero que não tenha puxado pro meu pai (que tem uns 17 graus de miopia), nem pra minha mãe (com seus multifocais de 4,5 pra longe mais uns 3 pra perto), mas esses meus grauzinhos fazem muita diferença. E eu gosto mundo dos meus quatro olhos (sem armações de acetato, por favor).

______________________________ .

Quando era pequenininha, era apaixonada por um homem. Ele era tudo pra mim! Passaria sem problema nenhum, todo o resto da minha vida com ele. O considerava meu super-herói. Ele podia fazer qualquer coisa comigo, que para sempre, eu o enxergaria desse jeito. Menos uma. Isso que ele não poderia fazer era magoar a pessoa mais importante da minha vida. Não homem, nem mulher, pessoa. Acima de todas as coisas. E foi isso que ele fez.

Meu amor por ele não se alterou. Eu continuei amando, como amo até hoje e amarei para sempre. Acontece que ele abalou em mim o cristalzinho da cofiança. E depois, ele a magou de novo, usando novas armas. E o cristalzinho se foi. Como já disse, ainda o amo, mas não existe mais confiança.

Decidi, ainda pequenininha, que não confiaria em homem nenhum. Se ele que era tudo pra mim fez aquilo, o que não fariam os outros? Sei que as pessoas são diferentes, mas se ele, que era o melhor, fez aquilo, eu podia esperar de qualquer um.

Cresci, mudei meus conceitos sobre muitas coisas. E quando a vida colocou minha confiança a prova novamente, me decepcionei mais uma vez. Há, eu disse que não poderia confiar em ninguém. Agora isso não me faz bem. Não é nem questão de perder confiança, o problema é que tenho que construir confiança novamente. E isso é tão difícil...

8 de nov de 2007

Olá, Dona Morte

Que eu sou a medrosa mais-medrosa-do-mundo, não é surpresa pra ninguém. De morte morrida, tenho que confessar que não tenho mais medo. Eu sempre tive, mas desde que meu avô morreu (único morto, by the way, que eu não tenho medo), eu me senti mais confortável. Quando chegar o grande momento de travessia, eles estará lá do outro lado da ponte me esperando.

Eu não sei o que vai acontecer, como vai ser. Tipo, não há nada em que eu acredite pra imaginar como vai ser, o que esperar, na verdade acho mesmo que morreu, fechou os olhos, acabou. Se existe céu e inferno, ressucitação, em estado de Cindy Lepore, eu nunca vou saber. Caso eu reencarne, também nunca vou saber. Se é igualzinho A Viagem, num vou saber do mesmo jeito. Isso me faz acreditar que fechou os olhos acabou.

Ao mesmo tempo que penso assim, acho muito injusto. Embora as pessoas não passem de um microrganismo no universo, a gente não quer que a vida acabe assim. Então, é muito confortante imaginar que os karmas flutuam entre vidas, que alguém estará esperando quando finalmente passar pro outro lado.

E eu não sou diferente. Apesar de na realidade, ter a certeza de que independente de como é, eu nunca vou saber, prefiro pensar que quando a Dona Morte chegar pra me buscar, ela me levará pra um lugar super legal e meu avô estará lá pra me receber.

7 de nov de 2007

Gostinho da vitória

Lá na faculdade tem todo ano um Simpósio de Ciências Biológicas. Montamos um grupo, quebramos o pau, escolhemos um orientador, mais porrada, tema definido, começa a tortura. Eles dizem que não é obrigatório participar, mas vale dois pontos na média de todas as matérias do segundo semestre, acho que isso deixa tudo bem claro.

Já falei sobre células-tronco, sobre tratamentos de câncer, educação ambiental. Esse ano o grupo foi pequeno. Dividimos bem as tarefas e escolhemos microbiologia. Tivemos uma orientação da profa. Raquel de dar gosto e pela primeira vez em quatro anos, sentimos que com o nosso banner super bonito e super bem feito, existia uma chance de premiação.

Sem trabalhar, só restava dedicação à faculdade e foi assim que fizemos. O trabalho realmente ficou muito bom, 0,95 de trabalho escrito. O banner deu mais dor de cabeça, mas ficou lindo, perfeito. Ainda sim ficamos muito surpresos com a classificação: primeiro lugar! Eu não esperava por isso, mas foi um máximo depois de quatro anos, de tanta reclamação, insatisfações, conquistar o primeiro lugar.

Tá que o prêmio foi só um livro pra dividir em três, mas o gostinho de ver o nome em primeiro da lista, não tem preço. E os dois pontinhos garantidos pra todas as matérias... hahaha não há o que pague isso!

6 de nov de 2007

Fashion out

Acho que nunca fui muito seguidora de moda. E usar rosa não é moda! Gosto de roupas bem confortáveis e não ligo muito se não estou sempre arrumada. Uma blusinha, calça jeans e um All Star é sempre uma boa pedida.

Eu não tive um Redley verde água. Não sei se vocês tiveram, mas no auge da sexta série, toda a minha sala usava esse tal de Redley. Eu também não comprei aqueles sapatinhos de plástico de bico fino. Tinha da Sandy, sem marca e Melissa (leslie, eu acho), mas eu imagino que eles deviam ser um tanto quanto desconfortáveis e eu preferi não usar um. Botas de astronauta eu tenho que confessar que acho bonito, mas ela são muito caras. E pessoas, não escondam as barras de suas calças dentro das botas de astronauta (viu como eu não entendo de moda? Todo mundo usa assim).

Confesso que sempre uso uma batinha preta que ganhei de aniversário da Tia Gi, mas é a única! Por mais que todas as minhas tias tivessem me bombardeado com batinhas no meu aniversário, eu fui resistente e não aderi a essa moda de deixar as pessoas com corpo de grávida. Eu hein! Aquilo deixa quase um balão! Num vô! Lembro de uma época também que estava na moda umas calças com cores escalafobéticas (hahaha existe isso? é assim que escreve?) que ficavam pouco abaixo dos joelhos, e de tactel. Eu até tenho uma verde aqui em casa, mas juro que era pras aulas de educação física.

Agora existe uma tal de legging preta com umas blusas vestido que cobrem a bunda, mas esta aí mais uma moda que não é pra mim. Juro que entrei em uma loja e experimentei umas 10, mas não rolou. E eu continuo usando minha calça jeans, minhas blusinha e meu All Star branco. E feliz!