28 de jul de 2008

Como seria se...

Todas as vezes que surge uma dúvida ou uma nova oportunidade boa ou ruim na minha vida, eu fico pensando o que teria acontecido se eu tivesse escolhido o outro lado. Talvez eu devesse ter mais certeza nas coisas que eu faço, mas talvez seja um pouco de falta de maturidade, com um pouco de falta de confiança...

Eu juro que vejo uma bifurcação e imagino todo um "mundo paralelo" se formando e imagino como eu estaria hoje se tivesse feito todas as outras escolhas, optado pelos outros caminhos. Emprego, por exemplo, saí do laboratório e fui pra Sovereign. E se eu não tivesse saído? Da Sovereign eu fui pra SG. O que teria acontecido se eu tivesse continuado na Sovereign? E se eu tivesse mantido meu contrato de estágio na SG em vez de sair? E se eu tivesse continuado meu estágio voluntário no AC Camargo em vez de ir pra DRS? O que teria acontecido? Hein? Será que hoje eu estaria melhor do que estou... ou pior?

Hummm, talvez só eu me preocupe com isso. Mas continuando... Penso assim também em relação a namorados, amigos. Como seria se a gente não tivesse perdido o contato? Ou como seria se, por exemplo, depois do final do médio, eu e a Taís não nos falássemos mais? E se eu não tivesse tido coragem pra terminar o namoro com aquele idiota que não gostava de mim? Como eu estaria agora?

Às vezes são situações, às vezes palavras. Coisas que eu penso que deveria ter dito ou não. Mais coragem ou mais calma que eu deveria ter tido. Não que eu fique constantemente pensando nessas coisas e me preocupando ou perdendo meu tempo com isso, mas que eu penso como seria se as minhas escolhas fossem diferentes, ah, eu penso.

22 de jul de 2008

Dá uma dessa pra mim?


A menininha, tá? Só uma!


21 de jul de 2008

As mesmas coisas de sempre

É errado, mas eu sempre espero alguma coisa de alguém. Não deveria, mas acho difícil que alguém realmente faça tudo sem esperar nada. Eu espero e, às vezes, me desanima fazer ao pensar que se fosse o contrário, não seria feito por mim. Outras espero porque seria tão fácil fazer... Ou seria o básico, é normal que aconteça e não acontece, eu que tenho que entender que cada um tem se jeito? Eu não.

Às vezes, eu entendo que é o meu jeito mesmo. O meu jeito, por exemplo, que está empacando as coisas. Tenho uma melhorazinha e surte um bom efeito. Aí vale a pena e continuo na mudança. Porque quando a gente muda e não adianta de nada, já sabe que não é aí o problema e então não vale a pena o esforço.

Sou invocada e brigo por qualquer coisa. Não preciso de nada além de uma palavrinha ou uma cara feia pra mudar a minha pra uma cara pior ainda. E aí não jeito jeito. Mas quer saber de uma coisa? Eu vou mudar isso. Vou colocar um belo de um falso sorriso no rosto e fingir que nada aconteceu quando eu presenciar a ignorância alheia. Por que eu não gosto desse sentimento ruim que fica comigo, e só eu me preocupo mesmo, então só faz mal pra mim.

15 de jul de 2008

Do jeito que a gente é

Hoje meu post ia ser pra detonar uma pessoa. Depois de fuçar no orkut, não acreditei como aquela gorrrda teve coragem de colocar aquelas fotos. Como algumas pessoas não têm nenhuma noção do ridículo ou talvez uma auto-estima tão grande que não veja o que todas as outras vão pensar: "que sem noção". Tinha até cogitado colocar uma foto dessa pessoa aqui ou pelo menos uma parte da foto, a que a tirinha do vestido se perde entre tantas dobrinhas nas costas.

Mas na volta pra casa eu pensei absurdamente sobre tudo (depois da lente meu sono onibusal evaporou). Que pessoa feliz, ? Que sorte ela tem de não se olhar no espelho e pensar em como uma cirurgia faria bem ao morrinho do nariz ou será que a quelóide ficaria feia se colocasse silicone. Ela é gordinha, coloca um vestido e tira um foto feliz. Eu coloco um vestido e fico sem graça, porque o tamanho do quadril e da bunda deixa atrás muito levantado.

Ela está é certíssima! Então, esse post não é sobre nada que eu "ia" escrever... É sim sobre como é legal a pessoa ser e aceitar numa boa sem se preocupar com o que pensam. Ah, como eu queria uma auto-estima dessas, essa foi uma fila na qual eu não passei antes de vir pra terra firme. Em compensação na do morrinho do nariz... Xiii... Já começou de novo! rs (risos!)

Na do queixinho eu passei várias também! Mas quanto a isso eu não tenho complexo não, é chalme de família! =)

Eu e companheiras de queixinho... Blehhhhhh

13 de jul de 2008

Lado muito feminino

Eu geralmente saio de casa sem brinco, porque esqueço, às vezes sem perfume, porque acho que o cheiro vai me irritar, e sempre sem maquiagem. De maneira nenhuma, só em ocasiões super especiais. Acho chato ter que passar rímel, lápis, um brilhozinho nos lábios e o pó da moda: blush! Como minha mãe faz aquelas maquiagens super profissionais e tem tudo, em casa na verdade eu não tenho nada (só aqueles brilhos labiais da Avon que todo mundo tem).

Apesar de não ser muito ligada nessas coisas, tem uma coisa que não abro mão de jeito nenhum: fazer as unhas. Pode ser esmalte claro, escuro, com brilhinho, francesinha. Podem ser curtas ou compridas, mas toda mulher deve fazer visitas semanais à manicure (ou fazer em casa mesmo). Eu reparo na mão de qualquer mulher. Acho feio quem rói unha, não tira a mão da boca, não corta (é nojento, ver 2 unhas compridonas e o resto curtinho), com cutícula mal tirada e esmalte velho, 3 semanas com o mesmo. Tem gente também que já tem uns 30 anos e ainda tem aquela mão de criança.

Agora que voltei a trabalhar estou tendo dificuldades para cuidar das minhas mãozinhas. De sábado é ruim encontrar horário aqui no salão e depois de 2 semanas tentando, tive que eu mesma cuidar eu mesma das minhas unhas. Agora está tudo bem, me sinto até mais limpa. E esta semana estou de... Néctar! Da Colorama.

Por sinal, falar de esmalte é comigo. Recomendo esmalte escuro para ir à Praia (o branco amarela), Renda (básico) para todas as ocasiões, um rosinha bom é o Condessa com o Algodão Doce (cintilante) por baixo, Francesinha quando é pra ficar mais de uma semana e qualquer esmalte que seja Verniz e Cor por cima de um esmalte escuro. Além disse, sei fazer vários desenhos na unha, masa com a preguiça, costumo usar só o esmalte mesmo.

Hehehe... E eu sempre guardo o nome do esmalte que passo pra quando falarem "Nossa, que esmalte bonito", eu responder "É o Poema da Risque e o Cereja da Colorama"... =) Aiii que metidaaaa...!

8 de jul de 2008

Meus novos olhos

Criei coragem, marquei o oftalmo e falei que queria usar lentes de contato. Eu tinha pensado em comprar outro modelo de óculos, mas eu não fico bem com esses bonitinhos de acetato e queria mesmo tentar a lente. Tenho muita aflição nos olhos e confesso que nem maquiagem direito eu deixo passarem em mim. Massss, o dotô me desafiou.

O filho da mãe era mau educado e me tratou mau porque pensou que eu não tinha marcado consulta (por incompetência da secretária dele). Aí ele fez todas as perguntas normais e de repente, veio com aquela arma de dilatar as vistas pra cima de mim. Óbvio que eu não consegui deixar ele pingar o colírio numa boa e ele falou que provavelmente eu não conseguiria colocar as lentes.

Eu expliquei que quando eu mexia no meu próprio olho sem violência, tudo bem e ele mandou a assistente fazer um teste. Fui um pouco relutante no começo, mas nem demorou tanto assim pra ela colocar as lentes em mim. Ahhhh que mundo novo! Não tem bordinhas, não tem coisa no rosto o tempo todo e quando eu me olho no espelho, sou eu mesma!

Adorei! E nem estou tendo tanta dificuldade assim para colocá-las e tirá-las (só hoje que minha mão estava suja de sabão e eu quase tive um ataque de tanto que ardeu), acostumei e aprendi direitinho!

Agora, eu não uso óculos!

7 de jul de 2008

Mulher é tudo limpinha

Hoje aconteceu um causo aqui no serviço. Acabou o copo descartável e temos agora que usar as xícaras. Uma das meninas encontrou uma delas virada no pires e grudada. Você levanta a xícara e o pires vem junto, ou seja, alguém usou, ficou com preguiça de lavar e colocou virada de cabeça pra baixo: porquice feminina. Quem fez isso? Ninguém. Por quê? Por que toda mulher é limpinha.

Na hora da conversa, todo mundo faz aquela cara feia quando falam de alguma coisa nojenta. Mulher não sai do banheiro sem lavar a mão, não joga papel fora da lixeira e não erra a mira quando tenta se equilibrar pra não sentar no vaso sanitário. A verdade é que se todas colocassem a bunda na privada, seria mais limpinho que mulher tentando fazer xixi meio em pé, meio sentada.

Mulher não faz cocô e não tem gases. Mulher jamais ficou um diazinho sem tomar banho e também não tem chulé, mau hálito ou cheio em baixo do braço e está sempre com o cabelo cheirosinho. O perfume então, hmmmm, dilicioso. O melhor é que mulher adora chamar as outras de porca e nunca admite as coisas que faz. Coincidentemente, o banheiro feminino está sempre nojento, muito pior que banheiro masculino e nunca foi ninguém.

Não estou dizendo que toda mulher é porca de verdade, mas sim que nem sempre é 100% e o tempo todo limpa ao extremo, mas adora julgar os outros, ? Então, pense se você é tão limpinha assim, antes de fazer cara de nojinho pra qualquer coisa, ok?

3 de jul de 2008

A pergunta da semana é...

(Eu tenho ido muito ao cinema...)

E o último filme que assisti foi Wall-e. Me surpreendeu também, porque é um filme muito bom. Me admira muito que eles tenham conseguido fazer um filme com basicamente duas palavras que passe tanta emoção e sentimento. E que faça a gente torcer tanto pra que dê certo. Na verdade, não me admira não, porque esses caras aí dessa tal de Disney são muito bons, né?

Mas e então? Qual seu Disney/Pixar preferido?

Apesar de muito bom, Wall-e não está nos meus toptops, gosto demais de Monstros S/A, Procurando Nemo, Mulan, Tarzan, é muito difícil escolher um só!!!

1 de jul de 2008

Pula a fogueira iá iá...

Não interessa se é festa junina, julina, quermesse ou festa caipira de escolinha, convidou eu tô dentro. Essa época caipira conquistou o segundo lugar na lista das minhas favoritas do ano (porque primeiramente eu sou natalina, claro) e eu gosto de tudo que ela tráz, o friozinho, as comidas, o vinho quente e até as músicas sobre o casamento de Antônio.

Este ano, a fase de quermesse já passou. Aqui na Sagrado Coração começa cedo, em maio, e eu fui acho que em todos os finais de semana. Comi batata-frita, caldo verde, crepe, até tempurá tem! Oops, acho que essa quermesse não estava tão junina assim, mas felizmente, também não deixei de tomar o quentão e o vinho quente.

O pinhão esse ano ficou por aqui em casa mesmo. Minha mãe fez e a gente comeu até sair pelas orelhas, fora que é trabalhoso de comer, então é melhor comer em casa mesmo... A canjica e o arroz doce também ficaram por aqui, mas sem perder o clima caipira.

As festinhas de escola das minhas primas foram tantas, mas infelizmente não pude ir a todas. De qualquer maneira, as que fui foram muito bem aproveitadas. Na festa da Bruna teve até peixinho de verdade na pescaria (que a Isabelle pescou pra mim) e a Giuliana dançou maravilhosamente com suas trancinhas naturais e sanfona de caixa de leite longa-vida.

Tem coisa melhor que quadrilha? Eu adoro! Até dancei no último dia do curso esse ano... "Olha a cobra!", "É mentira...". "A ponte quebrou", "Já consertaram". "Olha a chuva...", "Já passou...". "Balancê...", tinha até esquecido o quanto isso era divertido!

E pra fechar as festas caipiras esse ano, no final de semana que vem tem festa julina no sítio. Não vejo a hora! O bom é que lá tem até fogueira!

...Tudo muito temperado com bastante paçoca, maria-mole, pé de moleque e bandeirinhas coloridas!