7 de set de 2011

Eu antes e depois

Eu sou feliz e tenho tudo que quero e preciso na vida.


Não poderia, além disso tudo ter o meu cabelo de cachão de volta?


E além disso usar minha calça jeans de boca larga, com o meu tênis sem marca nenhuma, com minha blusinha que deixava um pedacinho da barriga de fora e a minha bolsa de lado?


Eu seria mais feliz se pudesse trabalhar assim, mas eles achariam que tenho 16 anos que é a idade que eu tinha quando me vestia assim todos os dias.


Mas quer saber? Era bom. Era muito melhor que essa calça social. E hoje, se mesmo de final de semana eu deixo a barriga de fora, eu me sinto meio 12 anos. Agora, prefiro usar batinhas porque me sinto menos indecente. Mas que eu era bem feliz, não se pode negar.


Para algumas coisas (me vestir, por exemplo) eu não cresci. Nem para me maquiar. Eu nuuunca gostei e faço questão de não passar nem um batonzinho todos os dias. Quanto eu coloco a roupa social todos os dias de manhã, parece uma fantasia. Aquela, definitivamente, não sou eu. É a Cindy responsável (nem tanto), que sabe que precisa fazer aquilo (e não é tão ruim, porque gosta de fazer aquilo) para ter tantas outras coisas e tal.


E hoje, revendo umas fotos antigas, eu percebo como o meu cabelo também participou da mudança. Estava tudo tão no contexto antes dos 20 e agora tá tudo tão diferente. Se tivesse um jeito, eu queria dar um pulinho lá naquela época e fazer uma progressiva só na franja rsrs.


Tá bom, vai. Tudo está como deveria estar.

Meu moleton rosa que ficou pra dormir só.

13 de abr de 2011

Fantasiosidades

Quando se trata de fantasia, tem que ser real.

Como assim?

Simples, pra que eu me interesse por qualquer filme de fantasia, por exemplo, eu tenho que me ver nele. Tenho que sentir que seria possível fazer parte daquele mundo diferente. Eu assisti os filmes do Crepúsculo, mas sinceramente, não me atrai.

Ser uma shining vampirinha definitivamente não está na lista das minhas coisas a serem feitas antes de morrer. Mas pode ter certeza absoluta que se você me disser que está indo pra Inglaterra, com certeza vou pedir que passe em Hogsmeade e me traga um pacotinho de feijõezinhos de todos os sabores.

Meu... Não tem nem o que falar, eu tenho quase certeza que Harry Potter e seu mundo são reais. Tá, antes que alguém ache que eu preciso de tratamento, eu sei que não é real.

Mas pensa, não seria o máximo se fosse real??? Eu atravessaria oceanos para encontrar meu filho se eu fosse um peixe. Eu me vestiria de homem se os Hunos invadissem a China. Eu definitivamente remontaria a porta se a minha criança preferida estivesse do outro lado. Eu seria um brinquedo eternamente fiel à minha criança. Eu subiria uma casa com balões de gás hélio... E essa lista ficaria infinita!