27 de jun de 2008

Pense nisso

Essa semana quis fazer um post com frases engraçadas. Não encontrei nenhuma engraçada, mas encontrei um site com frases e textos da Clarice Lispector e gostei muito.

Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas.

Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.

Ela acreditava em anjo e, porque acreditava, eles existiam.

Sou um monte intransponível no meu próprio caminho. Mas às vezes por uma palavra tua ou por uma palavra lida, de repente tudo se esclarece.

Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calmo e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre.

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...
Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

26 de jun de 2008

O Melhor Amigo da Noiva

Não é novidade nenhuma que escolho filmes e novelas pelos artistas que participam. E depois de viciar em Grey´s Anatomy, o mínimo que eu poderia fazer era assistir o filme do McDreamy, que tinha um título ruim e um comercial e cartaz horrível. E não dava certo nunca. Ninguém queria assistir comigo e no sábado, quando fomos ao cinema, não tinha horário pra esse filme e acabamos assistindo Fim dos Tempos.

Legalzinho e só. Achei meio estranha essa história das plantas se revoltarem de repente contra a gente, mas pelo menos a idéia é diferente. E teve algumas partes que me assustaram bastante até (já que eu morro de medo de qualquer coisa) e até umas risadinhas, mas o pessoal saiu da sala inconformado de ter assistido aquele filme idiota. Eu gostei, vai.

Nessa quarta (já que quarta é dia de cinema porque é mais barato), resolvi assistir o filme que eu tanto queria. E eu fui corajosa já que o filme era dublado e nas salas velhas do Shopping Metrô Tatuapé. Estava lotado (pobre é uma desgraça, rsrs, não pode ver uma promoção) e a poltrona que sentei estava quebrada. Tinha tudo pra ser um filme muito ruim. E foi ótimo.

Esse filme é muito legal. Mesmo com a a historinha mela-cueca, até o Du gostou. A gente deu várias gargalhadas, eu chorei (meu termômetro pra saber se o filme é do meu gosto), achei que a mulher do meu lado ia ter um ataque de rir tão escandalosamente e até esqueci que era dublado, e que a poltrona era ruim. Muito divertido, recomendo!

McDreamy não me decepcionou! =) E ainda tá bem gatão, bem diferente da época de Namorada de Aluguel que eu assisti esses dias atrás na Sessão da Tarde.

Como o tempo faz bem para algumas pessoas, né?

23 de jun de 2008

Nós

Pra ser bem sincera, não lembro do Du na faculdade quando mudei pra noite. Foi no dia 17 de outubro, mas só lembro dele a partir de uma viagem para um sítio e não me interessei não. Ele, por outro lado, diz que me achava bonita, e que lembra inclusive da primeira coisa que disse a ele já nesse passeio pro sítio (talvez porque não tenha sido uma coisa muito legal, eu disse que estava com problemas intestinais de uma maneira bem nada feminina, mas tudo bem, não estava preocupada com ele...rs).

Mais tarde fiquei sabendo que ele não era pro meu bico. Tinha namorada e já tinha muita gente interessada. Ele me adicionou no msn e começamos a conversar, principalmente porque nessa época, ele acabou com a namorada e estava muito chateado com isso. Assim foram as férias, o Du era muito legal comigo e não demonstrava interesse algum.

Quando as aulas começaram em Fevereiro de 2006, nós já estávamos bem amigos. Foi bem aí que ele começou a demonstrar certo interesse, dava umas indiretas no msn e se oferecia direto pra ir comigo até o ponto, esperava meu ônibus chegar, mas nunca disse nada, ele sabia que eu não queria, mas não desistiu. Eu tinha os meus motivos para não querer, e preferi ficar na minha.

Mais tarde, aparentemente a minha amizade com o Du passou a ser um problema pra alguns dos meus amigos e quando me vi de lado, foi justamente o Du quem quis me fazer companhia. E quando vi que os meus motivos já não me impediam de não ficar com ele, ele resolver abrir o jogo. Estávamos nas provas oficiais em junho. Ele chegou bêbado em casa, ligou o msn e falou algo do tipo "Caramba meu, o que te impede de ficar comigo?", ele contou que estava afim há muito tempo e que a gente se dava tão bem, que não tinha porque não tentar.

Hahahaha, tudo começou no dia 23 de junho e eu não sei explicar como, mas não desgrudamos desde então. Ele foi tão mágico que não teve como não se apaixonar completamente. No dia 15 assistimos O Pequeno Príncipe juntos e ele conheceu meus pais. No dia 23, um mês depois, fomos juntos ao show do Kid Abelha e soube neste dia, que ficaríamos juntos para todo o sempre.

No início das aulas ficamos um pouco sem graça, mas um professor, ao nos ver separados disse: "Vocês estão namorando, né? Parabéns, eu vi vocês dois no shopping e sabia que não tinha como vocês ficarem separados". O Du conquistou tudo. Não só eu sou apaixonada por ele como também meus primos, tios, amigos, avó e pais. Tive a sorte de encontrar um petista palmeirense e não pude perder essa oportunidade.

Nós não temos um lindo começo, com amor à primeira vista ou apaixonados desde 50 anos atrás. Ele teve que trabalhar um poquinho, rs, e nós soubemos construir uma linda história. Com as suas complicações, claro, como todo casal, briguinhas e ciúmes, mas temos um companheirismo e cumplicidade que talvez não seja tão comum assim por aí. Tantas viagens, jogos do palmeiras, horas assistindo seriados, cinemas, lugares novos pra comer, fotos, dias de faculdades, ligações, festas, tanto tudo! Agora ele está até me ensinando a dirigir descentemente...

Hoje nós completamos 2 anos de namoro. Eu nem sei como passou tão rápido, mas nós já fizemos tantas e tantas e tantas coisas juntos e nos amamos tanto, que é fácil ter a certeza que ficaremos juntos, se tudo der certo, para todo o sempre.
Te amo mais que tudo.

18 de jun de 2008

Coisa de mulher

Poupo meus elogios para as pessoas sem nenhum motivo muito aparente. Na verdade, até penso, que roupa bonita, que brinco bonito, mas não é sempre que o pensamento sai. Também não faço muita questão que repare em mim não.

Esses dias estava lembrando da formatura e até comentei com a Taís. Não me lembro de ter recebido elogio de nenhuma outra formanda, só das minhas tias, tios, pais e primos. Eu estava é pensando como eu estava quadrilhões de vezes mais bonita do que todas elas. E acho que é exatamente isso que elas pensavam em relação a mim.

Então a gente pára, se olha, dá um grande look no vestido, repara no cabelo, vê se a maquiagem foi bem feita e pensa: "Aff, tô bem mais linda". Aí fica aquela situação meio chata, com ambas as pessoas esperando um elogio. E nada. Ainda rola um "Ah é, né, você tinha comentado que ia deixar o cabelo solto... Legal...", e pára por aí. Homem não tem essas frescuras, né?!

E justamente quando comentávamos sobre isso, a Taís falou: "Ainda bem que nossa formatura foi separada né...Porque na do Camargo que foi junta, eu estava muito mais linda que você". Não, querida, eu estava muito mais linda que você, anos-luz mais linda... Hahahhahahahaha....

Eu não disse?

15 de jun de 2008

Sunday Musical

(Porque eu sou uma amiga legal...)

1. Colocar uma foto sua (tem q ser foto individual)... A última que tirei no aniversário da Giulianna

2. Escolher uma banda/grupo/cantor e responder somente com títulos de suas canções... Eu juro que ia ficar muito mais legal se fosse Britney Spears...rsrsrs Mas já que as perguntas são em português, escolhi Kid Abelha.
3. Escolher 8 pessoas para que façam o teste, sem esquecer de avisá-los no seu fotolog... no meu caso, blog. Então, não sobraram muitas pessoas pra eu escolher, então quem se sentir com vontade de copiar, copie! rs
1. Você é homem ou mulher? Fuga número 2.
2. Descreva-se: Eu tô tentando.
3. O que as pessoas acham de você? Apenas timidez.
4. Como descreveria seu último relacionamento amoroso? Lágrimas e chuva.
5. Descreva sua atual relação com seu namorado ou pretendente: A fórmula do amor.
6. Onde queria estar agora? Na rua, na chuva, na fazenda.
7. O que pensa a respeito do amor? Tudo de nós.
8. Como é sua vida? Por que não eu?
9. O que pediria se pudesse ter apenas um desejo? Um segundo a mais.
10. Escreva uma frase sábia: Vida de cão é chato pra cachorro.

13 de jun de 2008

Fase Chiquititas

Eu gostei muito de Chiquititas. Gastei um dinheirão, comprei revistas, colecionei figurinhas, tinha cds, roupas, fui aos shows e ganhei promoções pra conhecer de pertinho. Me correspondia com eles como se fossem meus amigos. Recebia vááárias cartas da Argentina. Sabia as coreografias de cór e decorava as falas.

A novela começou quando eu tinha 10 anos. A novela durou uns 4 anos, mas eu não assisti tudo isso. Gostava demais de todas, mas me identificava em especial com uma delas, a Cris (Francis Helena Feliciano). A personagem se achava gordinha e vivia se apaixonando pelos meninos errados... E eu participei de uma promoção logo que teve uma reviravolta no elenco e conheci vários chiquititos recém saídos da novela, entre eles, a Cris.

Nós fomos jantar em um restaurante chiquetoso e ficamos conversando e tirando fotos. A partir daquele dia, Chiquititas perdeu o encanto. Eu assistia a novela, dançava, via os shows, mas não queria mais autógrafos e fotos com os artistas. Qual a graça? Não que a Francis tenha sido chata comigo, pelo contrário, mas ela não era a Cris.

Chiquititas foi muito importante na minha vida. E fez a tietagem acabar ali mesmo com qualquer artista. Não dou mais um centavo em uma revista. Até quis conhecer de perto a Sandy e fui em vários shows, até mais de uma vez no do Kid Abelha, mas música é a própria pessoa que está ali, né? Ator/atriz não, a gente se encanta com o personagem. Por isso que eu nem fui atrás do Guilherme Berenger (gde amor da minha vida!!! rsrsrs), Max Fercondini, Daniel de Oliveira e deve ter tido mais alguns que eu não lembro...

O que interessa é que Chiquititas talvez tenha sido um grande marco porque prolongou minha infância, o que não acontece muito com as crianças de hoje em dia (uma prima minha de 8 anos disse que brincar de boneca é chato...). Ainda sim, eu apóio, e por isso acho legal que muitas das minhas primas gostem de RBD, Floribella, High School Musical e etc. Apóio e participo, pra que elas curtam um pouquinho mais da infância como eu tive a oportunidade.

Ah! E fase Chiquititas é porque às vezes, eu ainda pego meus cds, minhas fotos e dou uma futucada pra ver se tudo continua inteiro. Aí eu escuto uma ou outra música e lembro de como era bom ser criança...
Francis Helena (Cris) e eu

Eu, Carla Díaz (Maria) e Laura Feliciano (Laurinha)

Mariane Oliva (Marian), Pierre Bittencourt (Mosca) e Guilherme ? (Guile)

12 de jun de 2008

A pergunta da semana é...

O que você faria se encontrasse seu artista preferido?

Surgiu esse assunto no salão esses dias. Uma das clientes está trabalhando no Rio e vive no aeroporto de lá, cheio de famous people. Ela estava contando que não tem coragem, mas que tem um monte de gente que pede autógrafos e fotos. Segundo ela, só nessa semana encontrou Cléo Pires, Flávia Alessandra, Leandra Leal e Rodrigo Faro.

Eu acho que não faria nada também, só ia ficar olhando pra eles... rsrs, reparando. Massss, se eu encontrasse a Angélica, eu corria atrás dela e pulava! rs Com certeza pediria um autógrafo (pra que serve um autógrafo?) e ia tirar uma foto e colocar no orkut!!! Ah, a Sandy também. Acho que só, a Angélica é a única pessoa famosa que morro de vontade de conhecer pessoalmente, já que ela me fez companhia durante toda a infância!


(Super romântico meu post no dia dos namorados, né? É que quando eu falei feliz dia dos namorados pro meu, ele disse "ah é, né? feliz dia dos namorados...", então eu revoltei.)

8 de jun de 2008

Amigas

(Porque eu estou em uma fase Chiquititas da vida, mas isso fica pro outro post...)

Não há memória onde não apareçam
E nem lembranças em que elas não estejam
Tanto nos dias tristes e felizes
Foi com elas que eu ri e chorei

Se estou longe as sinto por perto
Nunca ninguém vai nos separar
Elas guardam todos meus segredos
É um tesouro a nossa amizade

Amigas, amigas
Companheiras da minha vida
Amigas, com vocês eu inventei
Um mundo de carinho a dividir com vocês
Amigas
As melhores que sonhei
Amigas, amigas
Presentes da minha vida
Amigas, com vocês eu aprendi
Que juntas jamais seremos vencidas, amigas

Amigas para sempre


Vocês nem tem idéia das coisas sobre as quais conversamos quando tiramos essa foto aí... hahahaha...

5 de jun de 2008

Dia daqueles...

Hoje estou feia. Parecendo umas dessas bruxas que andam por aí com três narizes cheinhos de verrugas cabeludas. Meu cabelo está sem jeito, me arrependo de ter cortado, queria ele comprido e agora está nesse meio-termo que enrosca no pescoço. Minhas roupas não servem mais, também, que roupas aguentam 5 novos kilos a cada dia? Não estou mais indo pra academia e já me sinto flácida. Não que estivesse adiantando a academia, mas agora estou bemmm mais gorda.

Meus pais, definitivamente não me amam mais. Minha mãe esqueceu de me contar que foi visitar a neném da Solange e eu fiquei extremamente magoada com isso. E eles esquecem o tempo todo que eu não como pão e ela faz bife com tomate (tenho nojinho!), sinal de que perderam toda a consideração pela minha pessoa. Ontem, quando eu disse que não queria o purê, eu não queria mesmo. Só comi porque estava com muita fome (e porque preciso manter os 5 novos kilos).

Eu e o Du estamos pra terminar. Ele definitivamente não gosta mais de mim. Quando liguei pra ele e caiu na segunda linha, tenho certeza que ele tava falando com alguma outra e não quis me atender. Ele também gosta mais da tv nova do que de mim e isso é o fim. Ele tem sido indiferente em todas as novas conversas e eu sinto um vazio dentro de mim que não tem como preencher.

A Taís também não é mais minha amiga. Ela não quis me atender no telefone hoje. Pediu até pra avó dar a desculpa de que ela dormiu porque estava com dor de cabeça, mas eu sei a verdade.

Quis que a velhinha explodisse hoje quando ela pediu meu lugar no ônibus. Eu não queria dar! Dei de mal gosto. Fiquei irritada também com o motorista do ônibus quando ele deixou uma mulher mendiga entrar pela porta de trás, já estava apertado, ela estava fedida e eu tinha acabado de perder meu lugar. Se ele quer fazer boa ação, que fique perto dela! Aí pensei como a vida é injusta comigo, como eu não tenho amigos e como sou imprestável.

Chorei assistindo Malhação. Cúmulo, eu sei. Mas foi emocionante! Quando o Gustavo cantou a música no festival que ele escreveu pra Angelina eu não contive as lágrimas. Elas foram confundidas com uma gigante gargalhada logo depois que a Yasmim fez alguma piada tosca que eu normalmente acho engraçadinha mas não chego nem a sorrir.

Agora sim vocês sabem como é uma mulher no auge da TPM. Logo passa, e eu desacho tudo que estou achando.

3 de jun de 2008

Eu não vou me acostumar...

Não vou mesmo. Tem coisas que a gente não acostuma nunca. Por exemplo, acordar cedo. Eu faço isso desde a quinta série, mas eu não me acostumei ainda. Fico sonolenta a manhã toda, meio lerdinha, e quando chega o domingo, eu durmo até tarde, não tem essa de "estou acostumada a acordar cedo".

Outra coisa que não vou me acostumar é com a minha avó. Ela era ativa, cozinhava tão bem, como assim agora ela fica resmungando na cama e se recusa a dobrar as pernas pra sentar no banheiro e fazer xixi? Não é nem justo... Minha mãe pode fazer quantos feijões com escarola ela quiser, e minha tia as porpetas, nenhuma tem o gosto das da minha avó.

A morte é outra que não tem jeito. Quando abro sem querer um arquivo no hospital dizendo "tal pessoa chegou com tais problemas e foi à óbito às tal horas do dia tal", eu fico profundamente triste e penso como deve ter sido chato, como não deve estar a família, se foi recente ou não...

Pior que a morte, acho mais difícil ainda ver alguém que está muito mal e não poder fazer nada. Ler os posts, não saber o que comentar mais, não saber o que falar em uma ligação, não saber o que fazer pra ajudar porque sei que não vai diminuir em nada a dor. Não consigo me acostumar, não sei o que fazer. A situação é tão nova. Tem coisas que, de verdade, precisam de muito mais que anos pra que a gente get used to it...

2 de jun de 2008

A pergunta da semana é...

Você luta pelo que realmente quer?

Tudo bem que arianos nem sempre jogam limpo, mas admiro um pouquinho o quanto são determinados e lutam pelo que querem.

Eu confesso que apesar de querer muito algumas coisas, nem sempre brigo por elas o quanto deveria. Às vezes penso até que se eu fosse mais esforçada ou menos preguiçosa, alcançaria mais meus objetivos. Por não conseguir, acho que apesar de estar fazendo tudo que posso, parece que não estou me esforçando o suficiente, se não deu certo, é porque eu deveria ter brigado mais.

Aí repenso. Eu deveria ter brigado mais ou é apenas meu superego me cobrando mais? Acontece que eu acho que eu não dou o máximo de mim pra conquistar as coisas que quero de verdade.